5 de maio de 2008

O Encontro do Bem

Ficamos sem escrever alguns dias pois tínhamos ido ao encontro do bem. Ao encontro de energias boas e pessoas boas, que estão na busca do auto-conhecimento.
O “1o Encontro do Bem” se desenvolveu a cerca do tema “desenvolvimento humano integral”, que quer dizer desenvolvimento de todo o nosso potencial interno (espiritual) simultaneamente ao desenvolvimento físico, mental, social e ambiental. Aconteceu durante 4 dias na Praia de Mariscal em Bombinhas com palestras, oficinas, vivencias com danças, músicas, tai chi, além de aulas de yoga e meditação. Foi organizado pela ONG dobem, criada pela família do Marco Schultz, professor de yoga e meditação, com a participação de excelentes profissionais convidados (nacionais e internacionais).
http://www.dobem.org.com/

Foram dias maravilhosos onde recebemos informações que vamos levar pra eternidade. Mais do que isso, foi muito bom conviver com pessoas que também anseiam por este desenvolvimento integral. Pessoas generosas, amorosas, sensíveis, que prestam atenção aos valores “do hoje”, que envolvem um real respeito à vida, ao meio e ao porquê de estarmos aqui.

Acordávamos bem cedo para meditar, cada dia orientados por um professor diferente. Claro que não foi fácil acordar as 5:45, mas era a atividade que eu (Amélia) mais ansiava fazer no encontro. Acho que há muitas respostas que encontramos na meditação. Se estamos em uma busca espiritual, acredito que podemos encontrar o que procuramos dentro da gente. E a meditação é um grande veículo pra isso.
Existem muitas formas de meditar que fogem do estereótipo de sentar em lótus e ficar em silêncio. Desde que saímos do Rio eu tenho tentado praticar, mas foram poucas as oportunidades... então eu estava ansiosa pra aprender mais técnicas, outras maneiras de conseguir me concentrar. Foi muito legal!

Choveu durante quase todos os dias. As previsões da internet acertaram e testemunhamos as tempestades com ventos fortíssimos e frio. Mas no penúltimo dia de evento, quando acordei pra meditar, vi um céu muito estrelado com uma lua linda sobre um mar com ondas perfeitas para o surf. (Pra sair do quarto, praticamente passávamos pela praia). No horizonte o céu tinha uma cor púrpura com uma fina linha rosa... Nossa foi uma imagem inesquecível.
Fui pra sala de meditação, sentamos (eu sempre encostadinha na parede porque confesso não agüentar ficar naquela posição de lótus por mais do que 5 minutos). O professor falou da importância da concentração, da posição do corpo, do deixar fluir dos pensamentos, da mente no aqui e agora. Ficamos ali por uns 20 minutos quando ele calmamente pediu que todos se levantassem e se direcionassem em silêncio para fora da sala em direção à praia.
O sol ainda não tinha nascido. O céu agora estava tava todo rosa e amarelado. As pessoas foram se espalhando pela areia, em pé, olhando pro mar. A Tammy (nossa amiga que estava conosco) lembrou bem - foi uma cena igual a do filme Cidade dos Anjos, quando os anjos ficam em pé na praia. O sol foi saindo aos poucos. Aparecendo na linha do mar. Uma bola de fogo perfeita! Foi lindo! Chorei de emoção com um sentimento muito forte de gratidão à tudo e todos! Essa é para o João uma grande forma de meditar, a contemplação da natureza.

Depois das sessões de meditação, vinham as aulas de yoga. Sempre uma para iniciantes e outra para experientes. Eu fazia uma e sentava pra assistir a outra. Foi muito didático. João curtiu as informações detalhadas das posturas.
Para aqueles que moram no Rio, recomendamos essa professora que nos deu uma aula de Iyengar, Deborah Weinberg. Gostamos também muito do Marcos Rojo, de São Paulo, Adoramos sua aula, suas histórias e sua presença. Indicamos os cursos de formação do Marco Schultz que ministra cursos em todo o Brasil. (http://www.simplesmenteyoga.com.br/).

À tarde participamos das oficinas, que eram as vezes palestras, vivencias em grupo, assistir a documentários ou coisas parecidas.

A primeira oficina que eu fiz foi participar de uma palestra com a Lama Yeshe (lama residente no Chagdud Dordje Ling em Curitiba - http://www.dordjeling.org/) Foi muito bom e vou tentar compartilhar com vocês em outra postagem um pouquinho do que eu ouvi lá.

A segunda oficina foi de Danças Circulares Sagradas (com Renata Ramos e o pessoal da Universidade da Luz). Nossa, foi tão emocionante! Todos ficávamos em pé, num círculo, fazendo diversas danças típicas. A professora estimulava a gente a olhar nos olhos do parceiro, a respeitá-lo e reverenciá-lo. Tão delicado! Singelo! Muito bonito mesmo! Víamos a beleza dentro de cada um que dançava a coreografia com a gente. Meus olhos encheram de água em vários momentos. Aliás meus olhos não fazem outra coisa ultimamente J!
No começo dessa aula a gente tirava um papelzinho com uma palavra que seria nossa “palavra anjo” durante o evento. A palavra que a gente tinha que carregar conosco. A minha foi “Gratidão”. Nenhum desafio aí pois o motivo dos meus olhos se encherem constantemente de lágrimas é por causa da gratidão... é só o que tenho sentido nos últimos tempos da minha vida!
A terceira oficina teve coisas extremamente interessantes. Foi com um canadense chamado Bert Parlee (especialista em Spiral Dynamics – um personal-life e executive coach). Uma das partes mais estimulantes foi quando tínhamos que sentar no chão com um parceiro e repetir um para o outro, durante vários minutos, a frase “eu sou você”. Depois a frase passou para “nós somos um”. Ficar ali sentada na frente de um desconhecido, no meu caso com um senhor de mais idade, repetindo uma frase tão incomum mas com um significado tão importante foi hipnotizante. Ficou carimbado na alma a sensação de que todos somos moléculas do mesmo universo. Como pingos formando um oceano. Foi intenso! Mas mais intenso ainda foi a frase seguinte. “Eu te amo”. Ele falava pra mim e eu devolvia pra ele. “Eu te amo”. “Eu te amo”. Com um homem que eu nunca tinha visto na minha vida! Eu digo sem risco que senti um verdadeiro amor por ele e sei que ele sentiu por mim!
A última oficina foi sobre “gratidão”. Daí a palavra de novo, minha palavra anjo. Foi ministrada por Sukie Miller, uma americana especializada no atendimento à pessoas com doenças crônicas e terminais. Ali aprendi mais uma coisa preciosa que vou levar comigo pra sempre. Um dos exercícios era a gente mentalizar o sentimento de “obrigada”. Ela usou alguns métodos até que cada um chegasse a uma “imagem de gratidão”. Cada um com a sua. A imagem que veio pra mim foi um sol, daqueles dourados que tem olho, nariz, e um sorriso bem grande, como um desenho mesmo. O interessante é a facilidade que vou ter agora de exercitar, na prática, o sentimento com a visualização do meu sol. A sensação que me dá é que o sentimento passa a ser ainda mais valorizado com essa visualização.

João foi o fotografo oficial do evento e não pôde participar diretamente das oficinas pois tinha que documentar tudo.
Eu fiquei com peninha dele não poder participar. Eu estava aprendendo tanto e queria que ele tivesse a mesma oportunidade. Mas ele ontem me disse uma coisa linda. Disse que pra ele a experiência do Encontro foi exatamente como ele queria. Que foi uma sensação boa poder fotografar aquelas pessoas que estavam tendo experiências intensas e felizes e que o mais importante pra ele é poder divulgar todas essas imagens repletas do sentimento mais puro, o Amor. Entendi o que ele quis dizer. Ele sentiu no coração as emoções!

Alem das oficinas, todos os dias havia também uma palestra e uma apresentação musical a noite.
Das palestras, falarei um pouquinho na postagem que vem. Mas já vale mencionar o Kaká Werá, um Índio de origem tapuia, escritor, ambientalista, conferencista e terapeuta social. Ele se dedica a difundir os valores sagrados e éticos da cultura indígena, levando mensagens da sabedoria dos povos ancestrais do nosso pais. Chamou a nossa atenção da importância da relação da criança com a natureza. As crianças criadas em apartamentos, em condomínios fechados, serão crianças que não saberão dar o devido valor ao meio onde vivemos. Aos poucos, esse meio poderá nem mais ser um meio. Poderá ser um fim.
(http://www.arapoty.org/).Expressar em palavras o que vivenciamos neste encontro não é uma tarefa fácil. Foram muitas informações e muitas delas tão sutis que carecem de maneiras descritivas para mostrá-las e tempo para digeri-las. Tentamos então expressar nossos sentimentos atuais em relação a tudo que aconteceu. Espero que o coração de cada um esteja como o nosso, repleto de amor.


13 comentários:

Anônimo disse...

baby ohoh. as fotos do john boy estao otimas. esta yoga parece super interessante mas aquele monte de gente no colinho........eu queria vc no meu. ta bom né baby? and how big is your love??????

Anônimo disse...

Memé
Fiquei emocionada com as suas palavras e pensei muita coisa agora. A gente, que vive em cidade grande, dentro de uma sala ou de um escritório, realmente desconhece ou nem chegou a ter oportunidade de valorizar certas coisas que são fundamentais, como o reconhecimento, o valor real de cada coisa, e ainda outras mais. Realmente, dizer eu te amo prá um desconhecido, parece mais fácil do que a gente supõe... então por que não fazermos? Acho que a vida urbana nos impede disso e de muitas coisas que você, nesta oportunidade, está valorizando.
Vamos tentar aprender um pouquinho com as suas experiências e melhorar os nossos valores de vida. Obrigada pela sua aula maravilhosa. Hoje eu aprendi muito.
Beijo da tia memey

Bozzi disse...

Depois dessa só posso dizer EU TE AMO!!!

Anônimo disse...

Nossa quanto sentimento!!!!! Fiquei emocionada e perplexa como podemos perder e ganhar tempo. Eu o dia inteiro no ramal 1675, Praia de Botafogo 374/ 8º andar fundos e você vivendo lindas e emocionantes histórias de amor com o conhecido, o desconhecido e os simples movimentos da natureza! Já te disse te amo hoje? Acho que não... Mas você sabe!
Bjs,
Cacá

Anônimo disse...

amelia, que delicia viver sua aventura através dos seus poemas. fico feliz por voce e seu john boy.
conte tudo , viva tudo, aproveite o seu sol todos os dias.
Estou com muitas saudades, sentindo a sua falta , mas tentando fazer da minha saudade, uma volta melhor para você
lve you soooo

Anônimo disse...

Olá tripulantes desta trip! Descobri vocês porque trabalho com a Cami, prima da Amélia. Confesso que fiquei muito mais muito emocionada com a viagem de vocês. No segundo semestre do ano passado eu e meu marido tivemos um projeto como este, menos ambicioso, mas totalmente rico de experiências, vivências, histórias e esperança acima de tudo! Pessoas corajosas e com tanta sede de vida merecem parabéns!!!! Aproveitem cada segundo e alimentem-se de vida. Tenho absoluta certeza que no final (se é que terá um) vocês , como eu, TERÃO ABSOLUTA CERTEZA QUE VALEU A PENA CADA PEQUENO MOMENTO. Velo-los me deu vontade de retomar minha trip, que por pura falta de tempo não seguiu para o Sul. bjos Andreia

Anônimo disse...

Princesa,

Eu tb fiquei super emocionada. Deve ser uma experiência muito enriquecedora. Gostaria de ter estado nesta praia para ver o sol nascer.

Ainda bem que vc está vivendo tudo isso e compartilhando conosco.

Obrigada!!!

Beijocas

Manu

Rachel Moreira disse...

Oi Linda,

Eu amei esses 4 dias que tivemos juntos no Encontro do Bem com pessoas do Bem. Já estou aqui no RJ na correria do meu trabalho, mas com muitas saudades de vc e do meu querido amigo(João). Amo vocês!!!
Tudo que vc escreveu eu fiquei muito emocionada, e lembrei do seu olhar doce, tão amável! Participamos juntas de algumas oficinas e foi muito enriquecedor mesmo. Danças Sagradas, foi tão especial, tocou muito meu coração. A Dinâmica (B Parlee) também, esse exercício mexeu muito comigo, eu tive esse sentimento mágico, eu senti realmente muito amor, senti que "somos todos um", todos irmãos vivendo experiências aqui na Terra.
"Não somos seres humanos passando por uma experiência espiritual. Somos Seres Espirituais passando por uma experiência humana".
Eu não consegui acordar cedo no dia de sol, e depois lendo seu texto, pensei que devemos aproveitar cada minuto presente realmente com intensidade, fiquei imaginando o céu do filme "Cidade dos Anjos"...que Bênção!!!
Amei estar com a Tammy, tão especial, ela quem colocou a pilha na galera pra estar junto no Encontro do Bem e isso foi demais!
Um beijo com muito carinho no coração de vcs! meus amigos do Bem!!!
Com amor, Rachel

Sabrina disse...

Uma frase do querido Amyr Klink. Acho que tem a ver com vcs, bonitos!! Beijo nos dois!!

Sabrina

"Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser. Que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver.”

Ele sabe o que diz, tem a alma em pura expansão, né??!! :)

Anônimo disse...

Oh Mé...João...
Quanta maravilha, vocês são pessoas privilegiadas, esta aí a sementinha de uma mudança na forma de ver...e viver...
Parabéns João, Amélia e todos esses desconhecidos seres amados, obrigada a vcs, pela nova visão, de esperança, de que nem tudo esta perdido.
Precisamos sair da correria, da falta de idéias, do mundo maluco, das cobranças histéricas, que não nos leva a nada.
Correr prá que ?
É tão bom saber que em lugares variados, pessoas estão preocupadas e fugindo da escravidão.
Chamo esse trabalho de ESPERANÇA !!!!
Obrigada por me devolverem a esperança...Obrigada, obrigada..
Amo todos vocês !!!
titia

free disse...

O Encontro realmente foi uma experiência transformadora... uma benção enorme poder estar presente ao lado de tantas pessoas lindas e sentir o qto sOmOs verdadeiramente.

Sorte no caminhO, na trilha...

Q todas as belezas naturais possam fluir durante a viagem de vcs e assim, ajudar a irradiar o ReaL, o ReaL, o AmOr.

om mani padme hum.
Alfredo Akira.

michelle lima disse...

Amélia!! Obrigada por compartilhar as informações sobre o encontro. Super do bem!!
Jõao! Obrigada pelas fotos!!

Paz e luz para vcs no caminho.

Abração, Michelle

Ma Deepti Anurag disse...

Olá, Amélia!

Menina! E eu nem sabia da existência desse encontro! A descrição da cena da praia foi poesia e eu adoro "Cidade dos Anjos"...rss Marcos Rojo foi meu professor e ontem fui a um Satsang com o Marco Schultz aqui em Sampa e o sentimento é sempre este: Gratidão!
Beijo
Eliane