29 de novembro de 2008

Video de Itatiaia

video

26 de novembro de 2008

Nazaré.

Estamos AQUI! Conheçam!

25 de novembro de 2008

ESTAMOS DE VOLTA! ITATIAIA – RJ

Sim! Estamos de volta! Finalmente! É impressionante como as vezes o tempo parece nos pegar pelo pé! Não podemos ficar tanto tempo longe da natureza e da estrada assim. Esse é o nosso caminho agora.

Recomeçamos nossa viagem com uma boa dose de generosidade da Mãe Terra. O lugar que estamos acampados é uma floresta linda. Fica no cume de uma montanha e de cada lado dela tem um vale com um rio de águas límpidas e deliciosas. Dentro do camping tem várias trilhas que chegam em quedas d’água e poços pra banho. As trilhas são em meio à exuberante mata atlântica e a água é gélida, daquelas que lava a alma dos corajosos que agüentam o frio. Eu só entrei no primeiro dia - lavou a minha alma para os todos os dias seguintes, porque não me arrisco a entrar ali de novo não! Saí tremendo! Mas foi uma delícia.

A dose boa de generosidade veio também com a quantidade de chuva. Choveu todos os dias à tarde e em tres dias choveu quase o dia inteiro. Mas a barraca suportou muito bem e a experiência foi diferente e também agradável. Nos obrigou a ficar mais quietinhos dentro da barraca e não restava fazer outra coisa se não ler, escrever, editar fotos. Para os que me conhecem bem, sabem que eu gosto de uma partidinha de buraquinho, passatempo que a gente sempre faz depois do jantar. O João na verdade, inquieto como é, mesmo com chuva, se acabou de tanto fotografar. Largou a grande angular e se ateve aos detalhes da mata. Sacou a lente macro e saiu tirando fotos de insetos, de flores e de folhas.

Ele diz que através da fotografia, contempla universos em várias escalas. Desde grandes paisagens, como montanhas na Chapada Diamantina, ao micromundo de um simples tronco de árvore na mata, que abriga uma infinidade de vida em tamanho miniatura: texturas, formas abstratas e também muita vida.

Detalhes da mata - Fotos João

O camping que estamos fica na Serrinha, no município de Resende, na região de Itatiaia. Fica bem no começo da estrada de terra que sobe para Mauá. É do Camping Clube do Brasil e possui um terreno de nada menos que 250 mil metros quadrados de pura natureza. O camping existe há 35 anos e nos anos 80, segundo o administrador, vivia completamente abarrotado de gente. Foi o primeiro camping dessa região de Mauá e Itatiaia e nos grandes feriados chegava a ter 300 barracas no jardim do terreno. Hoje a procura é mínima. As pessoas acabam dando prioridade á badalada Visconde de Mauá/Maromba e o conforto e gastronomia de Penedo.

E é aqui que entra a pergunta que quero fazer pra todos que estiverem lendo. Por que a gente não passa mais tempo da vida acampando e curtindo a natureza? É tão bom, tão bom!

Claro, o ideal é ter uma estrutura, boa barraca, material de cozinha - o resto é luxo! Como nossa viagem é longa, temos realmente tudo que precisamos mas o que vale é o contato com a natureza!

O verde do camping e o clima mágico

Quer descansar no feriado? Quer estar em meio à natureza pra relaxar de verdade? Respirar ar puro, se desligar do dia a dia, do stress, da barulhada da cidade? Vem pra Serrinha! Vem pra esse camping! Sério! Estamos aqui em pleno feriado, num lugar enorme, super bem estruturado, com cozinha, banheiro com chuveiro pelando, sauna à lenha na beira do rio, cachoeiras para se tomar banho - e estamos praticamente sozinhos! O terreno é praticamente todo nosso!
www.campingclube.com.br

Cachoeira Véu de Noiva - Itatiaia

Estamos a poucos quilômetros do Parque Nacional do Itatiaia que tem coisas lindas pra se ver como a cachoeira Véu de Noiva, o Pico das Agulhas Negras e o Cume das Prateleiras.

Só conseguimos ir pra Itatiaia 1 vez por causa da chuva. Fomos na cachoeira Véu de Noiva e no lago Azul. O resto do tempo nos contentamos com as atrações do próprio camping como Poço das Esmeraldas e o Rio Sto Antonio.

Amelia no Rio Sto Antonio - Serrinha

O Parque Nacional do Itatiaia foi o primeiro parque do Brasil e já possui mais de 70 anos. Visitamos o Museu (Centro de Visitantes) que tem salas interativas e exposições de fotografias e é rico em informações sobre geologia, fauna e flora. Vale a pena.

Centro de Visitantes Parque Nacional do Itatiaia

Sábios foram meus avós que há anos vieram pra itatiaia passar a lua de mel!

A gente veio parar na Serrinha pois estamos no meio do caminho para Jacareí (SP). Lá vamos participar de uma atividade na Nazaré Universidade da Luz - um lugar que eu estou ansiosíssima para conhecer. É como um retiro com “vivencias” para estimular a pratica da “meditação, silêncio, cuidado amoroso, partilha, comunicação sustentável, liderança circular e responsabilidade sócio-ambiental”. Contaremos os detalhes da experiência em poucos dias! Até lá!


14 de novembro de 2008

Nós na "Rio This Week"

Chegamos em casa hoje depois de fazer as compras para o reinício da expedição e havia acabado de chegar pelo correio a revista "Rio This Week" com a linda matéria que a Amélia escreveu ilustrada com as fotos da expedição. Obrigado Betão, Marina e todo pessoal da revista!
Isso só nos motiva ainda mais para continuar essa deliciosa viagem. Dêem uma conferida na matéria clicando em BRASIL AFORA depois de entar AQUI e continuem na nossa carona!
João e Amelia.

Troque seu Lixo por MPB!

Show Doe seu lixo por música , Rio De Janeiro - Apoteose 21/11

13 de novembro de 2008

Artes!





7 de novembro de 2008

A vida acumulando lixo.

Faz tempo que não escrevo.

Viver Noronha foi uma experiência intensa e muito pessoal, por isso ainda não consegui desenvolver um texto sobre o 1 mês e 10 dias que por lá passamos.
Desde que voltamos na semana passada, tenho trabalhado em eventos para meus pais e o João está agitando alguns últimos detalhes do livro que ficaram pendentes.
Retornaremos à viagem na semana que vem ou na próxima. Estamos ansiosos e com saudades da estrada.

Bem, fiquei com vontade de colocar minha cara aqui de novo pra continuar falando do lixo. Assunto mais do que discutido entre eu e o João nas últimas semanas.Todo esse lance de coleta de lixo, de acúmulo de lixo, de consumo de lixo, de LIXO como um todo, é recente pra mim.
Como quase tudo que tenho vivido ultimamente é recente pra mim.
E como quase tudo que tenho vivido ultimamente, o assunto é forte, importante e essencial para uma vida equilibrada.
O lixo é um tapa na minha cara sobre a minha falta de atenção à valores primordiais pra uma vida neste planeta.
E não to aqui defendendo o planeta, to aqui defendendo a vida. A minha vida, a sua vida e, sim, a vida da folha, do peixe, da fruta.

Antes, quando eu trabalhava 12 horas por dia e vivia um stress constante, eu não pensava no lixo. Simplesmente não pensava. Não tinha tempo, eram outras as minhas preocupações. Eu entendo portanto os que ainda não se preocupam. A ficha ainda não caiu. Não deu tempo. São mesmo muitas as nossas responsabilidades na vida moderna.
Mas então já que os compreendo e estava nessa posição há tão pouco tempo, me coloco à disposição para lembrar à todos o que acontece com todo o lixo que acumulamos. O que acontece é LIXO ACUMULADO! A embalagem da escova de dentes que eu comprei, o protetor do absorvente que eu uso, o papel higiênico que entre outras coisas eu assuo o meu nariz alérgico, a embalagem cheia de frescuras do meu aparelho de celular, o papel de seda que embrulhou a minha nova blusa, a caixinha do filme do João, a embalagem do shampoo, do creme, do sabonete líquido, as folhas de papel onde imprimi os rooming lists e instrutivos dos últimos eventos, alem das 1100 sacolas plásticas que protegiam as camisetas de brinde do evento que acabei de fazer. Tudo vira lixo. Tudo fica por aqui, espalhado na nossa vida, longe dos nossos olhos pra gente não ver, mas muito perto da nossa consciência quando a gente consegue prestar atenção.

É claro que nem tudo tá perdido. Hoje se fala muito mais nesse assunto do que ontem. A consciência se espalha.
São várias as empresas que estão tomando atitudes, como o grupo Pão de Açúcar que acabou de abrir, no estado de SP, o primeiro supermercado verde da América Latina. Lá, entre muitas outras coisas, o consumidor encontra o Caixa Verde. Na hora de pagar vc pode tirar seus produtos das embalagens que não precisam ser levadas pra casa e depositar num container que é enviado para reaproveitamento do material.
Mais informações clique aqui.

Fato é que muitos como eu se perguntam qual o percentual do lixo que pode ser reciclado, ou reaproveitado. A resposta é simples: praticamente tudo!
Então, porque não é feito? Porque, como determinam as leis do mercado, é preciso que haja demanda. É preciso ter empresas de reciclagens em quantidade e especialidades diferentes, que haja separação correta dos materiais em todos os segmentos da sociedade e é preciso ter destinação final, ou seja, mercado para os produtos.

Coleta-se aqui no Brasil, em média, 125 mil toneladas de resíduos domiciliares por ano e só uma pequena parcela é reciclada. O País perde quase cinco bilhões de reais por ano por não reciclar tudo que poderia. Reciclamos apenas 5% das embalagens de vidro (o Japão, por exemplo, chega a 55,5%) e 15% das embalagens PET que são transformados em fibras. São índices considerados muito baixos, principalmente quando comparado ao resto do mundo.
Reciclagem, segundo o blog da Comlurb, é o processo industrial que converte o lixo descartado em produto semelhante ao inicial ou a outro; processo que visa poupar energia; poupar recursos naturais e trazer de volta ao ciclo produtivo o que é jogado fora. É preciso começar a olhar o lixo como fonte de riqueza. Para reciclá-lo é necessário separá-lo, pelo menos retirando o lixo molhado – que são os resíduos orgânicos – do lixo seco.
É aí que entra o meu objetivo aqui. Somos responsáveis por nossas ações no mundo. Somos portanto responsáveis pelo lixo que acumulamos.
O que antecede à reciclagem é a nossa conscientização. É prestarmos atenção ao nosso consumo, afinal, reduzir consumo significa reduzir lixo. É mudando o consumo, que podemos contribuir para não mudar o clima do planeta.
Consciência ecológica é o primeiro passo. Se usamos uma bolsa de tecido, podemos economizar aproximadamente 6 saco plásticos por semana, ou seja, 24 sacos por mês, 288 sacos por ano e 22.176 sacos ao longo da vida. Se apenas 1 de cada 5 pessoas neste país fizesse isso, economizaríamos 1.330.560.000.000 sacos plásticos durante nossas vidas. Podemos comprar produtos com embalagens recicláveis, evitar a impressão de documentos desnecesarios, reaproveitar sobras de papel, abolir os copos descartáveis, comprar produtos com embalagens economicas, desperdiçar menos, e, principalmente, iniciar dentro de casa a prática da coleta seletiva. Algumas dicas:

SEPARAÇÂO DE MATERIAIS RECICLÁVEIS
O material da coleta seletiva é o lixo seco, ou seja, sem mistura de lixo orgânico, tais como restos de comida, restos de frutas, legumes e verduras, etc. O papel e o papelão também devem estar secos.
O material separado deve estar exposto em saco plástico transparente específico vendido em todos os supermercados.
A Comlurb faz a coleta deste lixo uma vez por semana. Para os cariocas, no site da Comlurb vc se informa sobre o dia da semana em que há coleta na sua rua (Atenção: escrever a rua principal que há perto da sua casa). Alem disso há diversas Cooperativas de Catadores de Lixo que também farão está coleta aleatóriamente.
O lixo será então separado em:
a) - Vidros: garrafas, frascos em geral, potes e copos;
b) - Papel/papelão: jornais, revistas, cadernos, folhas, papel laminado, sacos de papel, embalagens em geral, papelão;
c) - Metais: latas em geral, peças de alumínio, peças de cobre, fios, pequenas sucatas;
d) - Plástico: garrafas, frascos, brinquedos, sacolas, potes, tampas.
(Todos esses itens devem estar limpos para garantir a qualidade do produto.)


Mas temos que lembrar que, mesmo reaproveitados, chegará o momento em que todo este material vira lixo de novo e vai acabar em um aterro sanitário – por isso, atenção ao consumo, atenção à vida!