10 de junho de 2008

Nem tudo são flores... Mas há muitas flores...

No blog a gente acaba sempre escrevendo muito mais sobre as coisas boas. Eu pessoalmente sempre fui de falar muito pouco sobre as coisas ruins. Achei lindo o que o João escreveu sobre o roubo do equipamento. Ficamos tristes. Mas ficamos firmes na noção do quão privilegiados somos.
A minha viagem pro Rio foi um tanto quanto precoce. Foi difícil sair de tantas vivências e experiências tão novas, pra voltar pra cidade da qual eu tinha acabado de me despedir.
Mas a dificuldade durou no máximo 1 semana. Logo depois eu já estava feliz e adaptada de novo, junto com as pessoas que eu amo e reconhecendo a importância de cada uma delas na minha vida.
O mais difícil foi retornar pra estrada. Fiquei alguns dias em silêncio. Com muita saudade dos meus pais, da minha irmã que quase não vi, sem contar na Tati que experimentou acho que os momentos mais aflitivos da vida dela. Eu estive com ela. Mas na margem. Estive no antes. Mas não estive no depois... e isso fez muita diferença pra mim... E um roubo é como um estupro da alma, da ingenuidade, da esperança. É um esfregar na cara de que não temos controle sobre nada.
Eu conto tudo isso pra mostrar que nem tudo são flores.
Passo por várias dificuldades emocionais por estar tentando quebrar tantos padrões e por estar tão longe de tudo que sempre rodeou a minha vida.
E são muitas as coisas que vejo que deveria fazer mas ainda não consigo...

A saudade da família continua muito forte mas desde que cheguei aqui, na Guarda do Embaú, mesmo com a situação do equipamento, a minha paz interna começou a voltar.
E é por isso que falo das flores... porque são muitas.. e estão em todos os jardins.
Por isso quero contar um pouquinho de quão privilegiado têm sido os nossos dias aqui.

A primeira coisa que fizemos quando acordamos no nosso primeiro dia foi colher laranja nas árvores do camping. Sim, o camping é recheado de laranjeiras e tangerineiras (pra continuar a minha coleção de árvores). Pode sorte maior? Todo dia de manhã um suco de laranja fresquinho!
Fomos depois fotografar o rio que margeia a praia e deságua no mar. Estava recheado de gaivotas, garças, fragatas, atobás. Lindos! Fotografamos muito! Foi realmente muito bonito.
Em seguida atravessamos o rio pra ir pra praia onde os pescadores estavam investindo nas tainhas. Tinham acabado de lançar uma rede de arrasto (de uns 400 metros) e estavam puxando de volta pra areia. Mais ou menos 30 homens. Gritavam. Gargalhavam. Discutiam. Muita agitação, espectativa e emoção. Foi maravilhoso! Eletrizante!
A gente acabou dando toda nossa água pra eles e quando estávamos indo embora, em retribuição, nos deram uma tainha. Era enorme e que carne deliciosa!
Voltamos ao camping e o bom pescador que tenho em casa preparou o melhor peixe do mundo:-). Sem contar com o espinafre e a salada fresca que colhemos da horta. Sim, até horta tem no camping!

No dia seguinte do roubo, já com a região espalhada de cartazes com uma recompensa pra quem “achasse” o equipamento, praticamente todos os pescadores vieram perguntar pra gente o que tinha acontecido. Me senti acolhida porque todos estavam verdadeiramente decepcionados com coisas ruins acontecendo tão perto, num lugar tão lindo. Foi bom ter gente desconhecida nos desejando coisas boas.


Hoje o dia foi de flores de novo.
Quem conhece a Guarda deve se lembrar do recanto de grama beirando o oceano que divide a praia da Guarda da Prainha. Gente, não consigo descrever em palavras o visual. Citando filmes da infância, é tipo uma mistura de “The Hills are Alive” (cena na montanha no início do filme “A Noviça Rebelde”) com a cena de abertura de “Grease” quando o John Travolta e a Olívia Newton John estão na praia fazendo juras de amor! É um pequeno monte, todo de gramado, lindo, com o mar batendo nas pedras ao redor. Impressionante! Sem contar nas piscinas naturais que formam em volta. Lindo, lindo!

Quanto coisa boa.
Que bom.
Obrigada.
E beijos...

9 comentários:

Anônimo disse...

Ufa!! Tava sem ar quando acabei de ler...vc é emocionante por si só!! Lindo, Amélia...e força...que eu sei, vc tem de sobra!! Beijos com acrinho. Sabrina

Anônimo disse...

Amiga ao ler me emocionei..verdade! e mais emocionada fiquei em saber que mesmo nesta tao curta temporada sua no Rio, a gente nao conseguiu se ver...como queria te dar um abraço,um beijo e dizer: Que saudades e como é bom te ver! Engraçado como a vida nos presenteia e você é um dos presentes que a vida me deu aqui no Rio. Vou ficar aqui de braços abertos esperando a sua nova visita..Qto a sua busca,aprendi na vida que nao podemos ter tudo ao mesmo tempo, alguma coisa vamos ter que abrir mão. Para buscar minha realizaçao profissional infelizmente tive que me afastar do convivio diário da minha família, mas em compensaçao ganhei novos amigos, um amor lindo que é o Rodrigo, o que nao deixa de ser uma nova família...Enfim..Te admiro muito! Fica com Deus e tô de olho em vcs.. beijos enormes Pat Haas

Anônimo disse...

Amélia, me deu uma dúvida: a Tati daqual vc fala e que é a mãe do seu afilhado é a tati que foi cimgo pro Paiol?? Será?? Tive essa intuição...será?? Beijo, Sabrina

Anônimo disse...

Fiquei uns dias sem entrar e quantas coisas aconteceram... Enfim, vocês como pessoas iluminadas já conseguem passar com mais facilidade de situações ruins, mas os recuos são comuns, portanto sentimentos de raiva, indignação, entre outros, fazem parte, não se sintam mal por isso.

Princesa linda, imagino que não seja fácil mudar tanto assim, mas aqui também não era lá essas coisas. Fato é que quando passa um tempo ficam as lembranças boas e as ruins se vão. Consequentemente, vem a saudade (não estou falando de Família, hein)! Isso poderia ser ruim, se de verdade não fosse bom. Mas pensa bem, seu cérebro apaga as memórias ruins para que as boas novas possam vir!
Amo vocês.
Cacá

Anônimo disse...

baby ohoh.nem tudo sao flores mesmo , senao , o que seria do outono e do inverno?? Mas voce se lembra que a gente plantava os bulbos das tulipas, no inverno , para que pudessemos colher lindas tulipas na primavera? como era gostoso guardar aqueles tesouros preciosos no quartinho da nossa pequena casinha. aquelas feias batatas que depois , tal qual borboletas, se transformariam nas lindas flores da nossa vida! entao , que bom que nem tudo sao flores. Tambem fiquei com muitas saudades ( acho que foi pior do que a 1a vez ) , quando vc foi embora naquela manha aflita para todos nós, pelo pequeno Theo. Eu estava quase que zangada com voce, por voce estar nos abandonando outra vez............
Mas eu sabia que voce precisava voltar pro seu projeto de vida , pro seu principe, para as suas garças, você , que é tao cheia de graça!
Ave Maria!
que ela proteja voces.

Anônimo disse...

Oi minha linda afilhada!!!
Fiquei uns dias fora mas assim que cheguei quiz logo saber de vocês. Imagino o frio que vocês estão passando, pois esse frio eu também senti esses dias. Há horas que não dá prá suportar, né?
Lindo o seu diário hoje. Na vida nada acontece por acaso. As vezes precisamos passar pelo feio para enxergar melhor o bonito. Aliás só enxergamos o bonito quando passamos pelo feio. É assim mesmo... Mas vocês são jovens, saudáveis, cheios de amor no coração e têm muita garra para superar qualquer coisa. Aproveitem essa maravilhosa oportunidade de convivência com os pássaros, de comer as frutas e legumes tirados do pé, de dormir ao som do correr dos rios e do bater das ondas, de encontrar pessoas simples e humildes, que sabem o verdadeiro valor da vida... Isso não se consegue em qualquer lugar e essa foi a escolha de vocês. Parabéns pela bela sacada!
Continuem juntinhos e felizes. Nós estamos com saudade, mas entendemos que esse momento é importante prá vocês. Estaremos sempre aqui, de braços abertos para quando vocês retornarem.
Beijos, beijos e beijos da tia memey

monica guinle disse...

Que texto lindo. Vivo!
Passei por uma aquarela de emoções. Faz a gente sentir amor, alegria, tristeza, compaixão, alegria novamente....
Vc é uma alma sábia. Fazer merda virar adubo é uma dádiva que vc tem.
bjs.
Sorte.

Anônimo disse...

Estou adorando fazer parte dessa viagem. Vcs estão fazendo um trabalho belíssimo e nos deixando cada dia mais maravilhados com a beleza da fotografia e o uso encantador das palavras. PARABÉNS !! Bjs Jennifer

Karina disse...

Amores!! Que coisa essa do roubo, mas a atitude de voces eh, como sempre, a correta! Eh so stuff! Nao se preocupe que a sua moambeira predileta traz tudo de volta pra voces!!!! Alias, adorei a descricao usando meio Novicia Rebelde, meio Grease- priceless!!! Muitas, mas muitas saudades!!